Avaliação do estresse de enfermeiros assistenciais no ensino à distância

Sérgio Henrique Simonetti, Marina Ferraz de Arruda Dedini, Estela Regina Ferraz Bianchi, Rika Miyahara Kobayashi

Resumo


Objetivos: Identificar o nível de estresse percebido e no trabalho de enfermeiros assistenciais que atuaram como educadores na construção, desenvolvimento e avaliação da educação à distância (EaD). Métodos: Estudo descritivo e exploratório realizado com 16 enfermeiros, utilizando as escalas de Estresse no Trabalho (EET) e Estresse Percebido (PSS). Resultados: O escore de estresse obtido para PSS foi 17,9 e para EET de 50,7, considerando o perfil de enfermeiras, mulheres (93,8%), casadas (37,5%), com filhos (31%), pós-graduadas (93,8 %), formadas há 6 anos (50%) e com idade média de 30 anos. Conclusão: O nível de estresse das enfermeiras assistenciais foi médio, tendo em vista um perfil de profissionais com vários papéis sociais que acumularam atribuições em serviço, mas que foi equilibrado pela motivação para inovar, atualizar-se no uso de tecnologias educacionais e domínio do conhecimento.

Palavras-chave


Enfermagem; Educação à Distância; Estresse

Texto completo: PDF


Journal of Health Informatics - ISSN 2175-4411
Rua Tenente Gomes Ribeiro, 57 - sala 33 CEP 04038-040 São Paulo - SP - Brasil
Tel./Fax: + 55 11 3791 3343 - E-mail: jhi@sbis.org.br